O Governo do Estado de São Paulo, respondeu e esclareceu referente ao funcionamento de empresas de manutenção, engenharia e venda de insumos para refrigeração e ar condicionado, por estarem ligados diretamente à serviços essenciais que não podem fechar como saúde, alimentação e remédios.

Veja abaixo carta publicada pela ABRAVA nesta semana.